IR EMBORA

 

 

IR EMBORA

IR EMBORA

IR EMBORA

 

Dias atrás comprei um livro infantil, para meu filho de 4 anos.

Como faço sempre, deixo para descobrir o livro com ele. Comprei como criança, apenas pela embalagem.

Sem conhecer o autor, mas sabendo estar em zona segura, já que a tradução era de Fernando Sabino, me deixei levar como as crianças fazem, pela capa. O livro era todo verde. Apenas verde.

Contava a história de uma árvore, e achei muito imaginativo.

Quando li para ele, fiquei surpresa e preocupada com o impacto que o mesmo iria causar numa criança tão pequena.

 

A `arvore amava um menino, que foi crescendo e sempre voltava a ela. No processo de crescimento do menino, ela foi dando coisas a ele para satisfazer suas necessidades. Primeiro a sombra, depois os galhos, para que ele pudesse se balançar e brincar, depois as frutas para que ele pudesse vender e comprar as coisas que desejava enquanto crescia, e assim por diante. No fim do livro, o menino já velho, voltou `a `arvore que também já não tinha mais nada para lhe dar, e disse que precisava de um barco pois queria “ir embora”.

 

A `arvore então, lhe ofereceu seu tronco para que o cortasse e fizesse um barco, e assim, o menino-homem- velho foi embora. Mas voltou. Cansado. E a `arvore ficou triste pois não tinha mais nada a lhe oferecer.

 

O menino-homem-já “muito” velho, disse que não queria mais nada, pois estava tão velho que queria apenas descansar. A `arvore então lhe ofereceu o toco de seu tronco, e ele se sentou e descansou.

 

A melodia singela da escrita do livro, a suavidade da cor, e a simplicidade da vida contida naquela historia, fez com que meu menino-criança-de 4 anos, quisesse ler outras e outras e outras vezes o mesmo livro.

 

O livro, antes de ser triste, é um recado simples a todos nós: a vida passa e extraímos dela aquilo que desejamos.

 

Se queremos “ir embora”, é porque já fizemos tudo que queríamos. Assim deve ser a vida. Fazer tudo que se deseja e depois descansar.

 

Nunca pensei que fosse possível mostrar a uma criança tão pequena a simples finitude da vida.

Ariadne Cantú

 

 

 

 



2 respostas para “IR EMBORA”

  1. Iria Griesang disse:

    Acho que meus netos vão adorar este livro,inclusive eu vou lê-lo pois o tema me interessou. precisaríamos de mais livros infantis ou juvenis, com temas humanos e ecológicos.Consegui encomendá-lo através de uma livraria daqui .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *