PORQUE E’ TAO DIFICIL IMPOR LIMITES AOS FILHOS

LIMITES

PORQUE E’ TAO DIFICIL IMPOR LIMITES AOS FILHOS

 

Porque é tão difícil impor limites aos filhos?

 

 

Como gosto de provocações, vou direto ao ponto:

–       quem nunca se rendeu ao desespero na educação dos filhos?

Saber onde está o certo e o errado na educação dos filhos em um mundo bombardeado pela mídia que vende a felicidade instantânea e coloca em cheque valores duramente conquistados pelos pais, é tarefa para os bravos.

A acelerada versão daquilo que se convencionou chamar de infância, estreitou o espaço para que as crianças sejam simplesmente crianças.

O mundo competitivo abocanhado pelos pais, sinaliza a todo instante que o TER não dá mais espaço para o SER .

Nas gerações anteriores, a motivação nascia da própria criança, hoje passa a ser a própria criança.

É quase imperioso que ela não tenha tédio, e acabam sendo hiperestimuladas por um excesso de atividades que não lhes permitem florescer adequadamente.

Da escola vão para o ballet, do ballet para a aula de inglês, do inglês para as tarefas, e das tarefas para a cama.

Criam-se dinâmicas, que não permitem que elas construam dentro do universo infantil, ferramentas que as capacitem a ser adultos capazes de lidar com frustrações

Quando precisariam de sossego para sozinhas desvendarem seu mundo, são colocadas em frente `a grande babá eletrônica, que nos intervalos do inocentes desenhos da Pepa Pig, vende também tendências, conceitos e produtos, altamente desejados pelos pequenos.

Nos parquinhos, algumas dessas crianças tem medo de balançar muito alto, mas não temem os zumbis sangrentos do vídeo game.

A chamada geração Z, nascida entre 1990 e 2010, também conhecida como babyboomers, parece ter nascido conectada em alguma rede wireless ou cabo de fibra ótica. Eles tem atenção e raciocínio que se desenvolve em flashs de segundos, e deixa desnorteados educadores que não foram capacitados para motivar-lhes o encantamento pela descoberta.

A escola, antes parceira, agora é refém de seu comércio.

E os pais, atônitos, assistem a adolescência se desenrolar como se tivessem o verdadeiro Thor dentro de casa, com trovões, e muita testosterona ou drama, conforme seja menino ou menina.

Como buscar o melhor para nossos filhos? Como educá-los e melhor prepará-los para o mundo?

Como explicar para sua filha com seios que “ela” acha grandes ou pequenos demais, que o tamanho de seus peitos não tem nada a ver com o conceito de beleza, que ela teima em copiar das musas e modelos da mídia?

Como dizer ao seu filho, que ser homem é um conceito muito mais abrangente do que ficar com o maior número de meninas que puder numa noite?

A busca da felicidade passou a ser mais importante do que ter direitos e deveres.

O valor da modéstia, virou o divertir-se consumindo.

O que antes era resolvido com a simples obediência, agora impõe que ensinemos nossos filhos a escolher com responsabilidade.

A disciplina, o auto-controle, e a ética, passam a ser valores-referência, que quem quiser transmitir a seus filhos, vai ter de matar um leão por dia.

O Mundo é maravilhoso, todas as mudanças e avanços também são, mas infelizmente, o ambiente não faz mais parte do processo de formação do ser.

O mundo mudou e as crianças mudaram com ele.

Ter filhos é extremamente desafiador, mas talvez ainda seja a maneira mais eficaz de melhorarmos como indivíduos.

Ariadne Cantú
 

 

 

 

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *